Malta - Supernova

Vacinação Infantil: Campanha começa neste Sábado!

 

Atualização da caderneta de vacinação começa neste sábado.


A partir deste sábado (18), até 24 de agosto, 34 mil postos de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) estarão voltados para a atualização do calendário básico da criança. Para reforçar a importância da ação, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o secretário de Vigilância em Saúde, Jarbas Barbosa, participam, em Salvador, do dia D de Mobilização Nacional, que marca a abertura da campanha, neste sábado.

Todos os menores de cinco anos devem comparecer a um posto de vacinação para verificar se o esquema vacinal está completo e se há necessidade de atualização. Além dos fixos, também haverá postos volantes, que estarão preparados para atender a população alvo (são cerca de 14,1 milhões de crianças nesta faixa etária).


Para a operacionalização desta campanha, o Ministério da Saúde repassou R$ 18,6 milhões do Fundo Nacional de Saúde (FNS) aos fundos estaduais e municipais. Haverá o envolvimento de 350 mil profissionais de saúde e a utilização de cerca de 42 mil veículos.

A campanha para a vacinação em dia é uma estratégia onde estarão disponíveis todas as vacinas do calendário básico da criança. São elas: BCG, hepatite B, pentavalente, vacina inativada poliomielite (VIP), vacina oral poliomielite (VOP), rotavírus, pneumocócica 10 valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e DTP (difteria, tétano e coqueluche). A partir desta campanha, passam a fazer parte do calendário básico a vacina pentavalente e a VIP.

Segundo o ministro Padilha, embora apenas as crianças que não estão com calendário atualizado irão receber vacinas durante a campanha, é importante que os pais recebam a orientação dos profissionais de saúde para analisar o histórico vacinal.  “O calendário é complexo. Para cada vacina é preciso aplicar de duas a três doses em momentos diferentes, por isso muitos pais não conseguem definir se a criança está em dia com a vacinação”, justifica o ministro.

A pentavalente é injetável e reúne em uma única aplicação a proteção de duas vacinas distintas, a tetravalente - que deixa de ser ofertada e protege contra difteria, tétano, coqueluche e doenças causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b, como meningite, e a vacina hepatite B. A vacina pentavalente será aplicada aos dois, aos quatro e aos seis meses de vida. Se a criança tiver começado o calendário com a tetravalente, sem que tenha terminado o esquema vacinal, deverá tomar a pentavalente. Contudo, caso o município tenha estoque remanescente da tetravalente, a criança poderá concluir o esquema com esta vacina.

Além da pentavalente, a criança manterá os dois reforços com a DTP. O primeiro reforço deverá ser administrado aos 12 meses e o segundo aos quatro anos. Os recém-nascidos continuam a receber a primeira dose da vacina hepatite B nas primeiras 24 horas de vida, preferencialmente nas 12 horas, para prevenir a transmissão vertical.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores