Malta - Supernova

Existem as Mulheres Gordas e as Plus Size



A diferença entre Gorda e Plus Size, é a pura Auto Estima. 

A mulher Gorda odeia seu corpo, a Plus Size o considera uma vantagem frente às outras Mulheres. 

Deixando um pouco de lado a ditadura da beleza magra, que vangloria o padrão anoréxico, desde meados de 2010 começou a surgir uma nova tendência no país, que busca identidade e respeito para as mulheres reais, as chamadas plus size. Essa especificação abrange moças que vestem do manequim 44 ao 52. 

No inicio de 2011, a modelo brasileira que é reconhecida internacionalmente, Fluvia Lacerda, 1,72 de altura e manequim 48 declarou: “Enquanto o movimento plus size ganha força no cenário internacional, no Brasil, as mulheres curvilíneas são excluídas dos principais eventos de moda”.


Fluvia Lacerda é conhecida como a Gisele Bündchen tamanho GG.



Insegurança x imagem corporal

Para o escritor e psiquiatra Roberto Shinyashiki, a falta de segurança pode afetar a nossa autoimagem. “Tanto para mais quanto para menos, a falta de confiança em si pode alterar não só a imagem corporal, assim como, nossas competências e incompetências”. Ele afirma que o crescimento desse mercado e a busca da mídia por mulheres reais beneficiam a todos, já que as referências passam a ser mais humanas.

A aceitação por parte do mercado brasileiro é questão de tempo. “Toda proposta que nasce quebrando os padrões estabelecidos pode gerar estranhamento e críticas. Mas cada vez mais vejo as revistas de moda mais importantes do universo fashion mostrando que existem mulheres além do manequim 36 e 38”, diz. “As mulheres querem se libertar da escravidão emocional que é essa busca eterna a ideais de beleza que não refletem a maioria da nossa população”, completa Fluvia.



Dona de um senso estético apurado, Fluvia privilegia os vestidos em seu closet e faz a linha “vista o que você gosta” sem radicalismos. Mas deixa algumas dicas:

— A mulher perdeu a feminilidade. Ficamos de calça jeans o tempo todo. É preciso redescobrir esta mulher feminina, perdida por aí. Equilíbrio vale para tudo na vida, inclusive na hora de se vestir. Adoro combinar uma peça estampada com uma básica, não uso nada colado ao corpo, tenho dezenas de cintos para criar uma silhueta e uso saltos para alongá-la — ensina.

Vaidosa, ela não sai de casa sem a santíssima trindade: rímel, blush e batom. Os cabelos, tão bonitos quanto os de Gisele, ganham hidratações semanais e passam longe do secador e da chapinha quando não necessário. A pele de porcelana é mantida com filtro solar. Sempre!

A autoestima elevada vem de casa. A mãe ensinou aos três filhos que eles poderiam ser quem quisessem, a levantarem a cabeça, e o primordial: se amarem.





2 comentários:

  1. A verddeira arte do amor próprio começa em casa!

    Adorei, otima semana!
    bjim, Dé@
    http://deabrasilcabelos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Opa, ótimo post.

    Divulgue seu blog ou site.
    Entre e cadastre seu blog agora mesmo!!!

    Visite: http://vergg.com.br

    ResponderExcluir

Seguidores