Malta - Supernova

BILLIE HOLIDAY - Ícone antirracista





"Árvores do Sul dão uma fruta estranha; Folha ou Raiz em sangue se banha; Corpo negro balançando, lento; Fruta pendendo de um galho ao vento."
Primeira estrofe traduzida de "Strange Fruit".

Billie Holiday foi uma verdadeira artista e se levantou como um fenômeno social na década de 1950.

Sua alma, voz singular e sua ousadia de transformar sua música (romances açucarados) em uma canção antirracista fez dela uma estrela de seu tempo. 

Hoje, é lembrada por sua obras, criatividade e vivacidade. A sua voz ainda é considerado uma das maiores vozes do jazz de todos os tempos.


Holiday (nascida Eleanora Fagan) cantou junto com Bessie Smith e Louis Armstrong em clubes de jazz como parte de seu aprendizado.

Ela também cantou em  clubes noturnos do Harlem onde aderiu ao seu nome profissional - Billie Holiday.

Apesar de não ter qualquer formação técnica, Holiday rapidamente se tornou uma participante ativa no que era então uma das cenas de jazz mais vibrantes do país. Ela então passou a se apresentar de um clube para outro, às vezes cantando com o acompanhamento de um pianista da casa, enquanto outras vezes ela iria trabalhar como parte de um grupo de artistas.

Com 18 anos Holiday foi descoberta por John Hammond e lançou seu primeiro disco como parte de um grupo de estúdio liderado por Benny Goodman

Em 1935 a carreira de Holiday teve um grande impulso quando ela gravou quatro faixas que se tornaram hits, incluindo  "What a Little Moonlight Can Do" e "Miss Brown to You". Isso lhe rendeu um contrato de gravação de seu próprio disco, se tornando assim um elemento muito importante da música jazz americana.


Em 1938, ela se tornou uma das primeiras mulheres negras que trabalhou com uma orquestra de branco, uma realização impressionante de seu tempo.

Na década de 1930, quando estava trabalhando com a Columbia Records, Holiday introduzido pela primeira vez o poema "Strange Fruit", uma letra emocional sobre o linchamento do homem negro. 

Apesar de a Columbia não permitir que ela gravasse a letra devido ao assunto, Holiday passou a gravar a música com um rótulo alternativo, Comodoro, e a canção se tornou um dos clássicos da artista. 

Holiday registrou cerca de 100 novas gravações em outra gravadora, de 1952 a 1959. Durante este período, ela excursionou pela Europa, e fez suas gravações em estúdio para a etiqueta MGM em março de 1959.


Sua dicção singular, o fraseado inimitável e intensidade dramática aguda de sua voz fez dela uma cantora de jazz excelente em sua época. 

Gardênias brancas, usadas em seu cabelo, tornaram-se sua marca registrada. 

Lady Day (chamada pelos fãs) é por muitos considerada a maior de todas as cantoras de jazz nos EUA. 


Billie Holiday, uma lenda musical popular ainda hoje, morreu prematuramente aos 44 anos. Sua voz emotiva, técnicas inovadoras e canções tocantes serão para sempre lembradas e apreciadas por serem porta-voz de assuntos como o Racismo.





Frases de Billie Holiday


"Um beijo que nunca é provado, é para sempre desperdiçado."

"Eu tenho que mudar uma música para a minha própria maneira . Isso é tudo que eu sei."

"Eu nunca tive a chance de brincar com bonecas como as outras crianças. Comecei a trabalhar quando eu tinha seis anos de idade."

"Se eu não tenho amigos, então eu não tenho nada."

"As pessoas não entendem o tipo de luta que é preciso para gravar o que você quer gravar do jeito que você quer gravar."


"Não há nenhum negócio como o maldito show business – você tem que sorrir para não vomitar."

"Você não pode copiar ninguém e acabar com qualquer coisa. 
Se você copiar, isso significa que você está trabalhando sem nenhum sentimento real. 
Não há duas pessoas na Terra iguais, e tem que ser assim na música, ou não é música."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores